Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

MEU ALENTEJO

ESTE BLOG E DEDICADO AO ALENTEJO E A MINHA TERRA QUE SE CHAMA "ALMODÔVAR"

ESTE BLOG E DEDICADO AO ALENTEJO E A MINHA TERRA QUE SE CHAMA "ALMODÔVAR"

MEU ALENTEJO

07
Fev10

CARTA AO MEU AMOR EMIGRANTE: TRIBUTO AO HOMEM DO ALENTEJO

silvia

Partiste pela madrugada .
Do recanto do quarto aonde amar te quis,
Vi-te alcançar a charneca que namorava a lua.
No manto rubro das papoilas, aonde
Rolamos emoções e desenhamos corações,
O orvalho chorava comigo a tua ida.
Eu que sempre te adorei como só a um Deus se a...dora
E que não me supunha capaz de viver sem ti, nem uma hora,
Implorei-te : não partas, meu amor, não vás!
Não te verei nunca mais …
E tu retendo contra o corpo os braços com que te enlaçava
Disseste-me : não chores, nunca, é tempo de mais !...
Um dia voltarei e a ti levo comigo…
No lugar da Joaquina, a venda, como lhe chamava,
Dizia-se que partiste à conquista de mundo
Que no lugar do restolho do trigo luzidio, querias ouro
Em paragens distantes, banhadas por outro mar…
Sempre foste um sonhador, meu amor, eu sempre o compreendi.
Por isso, com cada carta tua, também vivi…
Vivi a cidade grande que me ilustraste de imagens e palavras de magia;
As gentes, os lugares, até os teus momentos de orgia.
Por esse mundo achaste mulheres de cabelo da cor do nosso trigo
E olhos cor do céu, de cor rubra de fogo ou da cor da cenoura, diversas e
Tão grandes, maiores que a nossa planície.
Com tanto te espantaste, de tudo experimentaste, com tanto te encantaste
Mas nunca me deixaste.
Em todos os lugares me recordaste, de tudo lembranças me enviaste
E assim andei contigo e sempre estive contigo aonde tu estavas.
Como pode um homem matar suas raízes?!...
Eu como uma raiz, desde o início dos tempos, fui plantada no teu peito.
Visito-o como a um campo. Rego, cuido, espanto predadores, ervas daninhas.
Um dia regressarás à nossa casa aonde por todos os tempos te tenho esperado.
Chegarás pelo verão quando de branco a houver caiado.
Mas do sobreiro aonde já desenhamos outrora nossos nomes num laço
Os meus olhos devoram da planície o vasto espaço…
Na ânsia de te ver surgir do ocaso da tua cruzada e
Enfim brindar a minha alma com teu eterno abraço!

Maria

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D