Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

MEU ALENTEJO

ESTE BLOG E DEDICADO AO ALENTEJO E A MINHA TERRA QUE SE CHAMA "ALMODÔVAR"

ESTE BLOG E DEDICADO AO ALENTEJO E A MINHA TERRA QUE SE CHAMA "ALMODÔVAR"

MEU ALENTEJO

13
Mar10

O Alentejo é lá

silvia

 

É lá onde o Sol desce a violar


a terra provocante de nudez,


que emprenha uma e outra e outra vez,


de Sonhos, que já cansa de abortar...


É lá onde a Lonjura por lavrar


nem sombras a dividem lés-a-lés...


Só a noite a parcela e faz mercês


erguendo muros brancos de Luar.



E lá onde se chora de cantigano


embalar dolente a Dor antigaque,


desperta, se agita e faz ruim...
Onde há suor em bagas pela eira,


e esp'ranças crepitando na lareira,


- O ALENTEJO é lá ... e é EM MIM.

HOJE HÁ PÃO ALENTEJANO?



Esta frase tão ouvida


neste tom interrogado


não é sentença perdida


nem um pregão inventado,


nem dito voando à toa ...
Oh senhores, mas quem diria


que eu ia ouvir isto um dia


aos balcões de Padaria


desta moderna Lisboa?!

"Hoje há pão alentejano?!"



E se o empregado diz:


-"Olhe, acabou de chegar."
ri a freguesa feliz


e estende o saco apressada


pois não vá ele acabar ...
e pede firme, sem graças,


que não pode haver engano:-
"Ponha-me aí dez carcaças


e um pão alentejano".

Ai é vê-lo meus amigos,


este pão que era só nosso,


o nosso Bem de raiz,s


em pretensões, sem ganância,


como ganhou importância,


- como ganhou um País.
Todos o querem agora,


por inteiro ... uma fatia ...


umas migalhas ... um naco


...Pão nosso de toda a hora


que é farinha doutro saco.

Venham vê-lo na Taberna


ou no fundo duma Adega


como alegra o camponês:


-ensopa o copo de três


-abafa raios e coriscos


-faz de cama prós petiscos


...e aconchegada a barriga


logo a voz se faz cantiga,


põe-se o Sol, vai-se a fadiga


que a noite mal começou,


e...'às quatro da madrugada


um passarinho cantou..."


Ó pão do meu Alentejo


que bela lição tu deste


na tua nobre humildade,


e como tu aprendeste


a usar fraternidade.?
E sem briga, e sem guerra,


sem essa confusão louca,


deste nome à nossa terra,


levaste-a de boca em boca...

Pois também vai a banquete


se a solenes beberetes


nas salas bem afamadas,


posto assim em pedacinhos,


feito "tapas" e "entradas',


regado com os melhores vinhos.

É o mais requisitado,pedido


por encomenda,


e vai em naperons de renda


até à mão de ministros.

E deu no goto a estrangeiros


e a certos senhores bem vistos


que o acham uma riqueza


e o querem na sua mesa ...
Não se recusa a ninguém,dá-se a ricos,


pobrezinhos,a crianças e a velhinhos


e aos doentes também.

Pão de Paz ! Pão de Alegria !


Pão de Amor! Pão de Verdade!


É como nós neste dia,


uma mistura sadia


de renovo e de saudade.
 

Autoria de Ada Tavares, publicado no livro «Alentejo em Mim» há mais de 20 anos e registado na Soc. Port. de Autores.

Ela nasceu em 1930 em Odemira, e veio para o concelho de Almada em adolescente. O seu nome faz parte dos nomes de Mulheres homenageadas no Monumento à Mulher neste concelho:

 http://www.almadadigital.pt/portal/page/portal/ACDV2/VISITAR/DETALHE_FINAL_2?paramMenuBoui=15715453&visitar_detalhe_novo_3_qry=boui=21552122&paramMenuBoui2=15715453&lista=arte%2Bp%25FAblica&paramCor=visitar

 

 
 

 

Alentejo sem fim...
(foto: João de Deus Pereira)

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D