Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MEU ALENTEJO

ESTE BLOG E DEDICADO AO ALENTEJO E A MINHA TERRA QUE SE CHAMA "ALMODÔVAR"

ESTE BLOG E DEDICADO AO ALENTEJO E A MINHA TERRA QUE SE CHAMA "ALMODÔVAR"

MEU ALENTEJO

20
Mai10

O Alentejo é imenso

silvia

O Alentejo é imenso

De história para se ouvir

Outrora, de lutas, intenso
...
Vê hoje a paz a florir.



Foi reconquista de reis

Berço de muitos doutores

De analfabetos escritores

E inspirador de pincéis.

Num clima que rege as leis

Dum solo de barro denso

Respira-se puro incenso

Que o difere entre o país

Onde na boca do povo se diz

O Alentejo é imenso.



É tamanho em liberdade

Em solitária beleza

Ou não fosse tão portuguesa

Esta terra da saudade.

No silêncio da humildade

Chora de gente a partir

Para um sonho perseguir,

Ainda assim para quem fica

Brilha sorrindo tão rica

De história para se ouvir.



Uma delicia da memória

Que transportou emoção

De geração em geração

Pelos caminhos da glória.

E por uma santa Victória

E uma padeira de bom senso

Apraz-me dizer que pertenço

A uma província de Portugal

País livre sem outro igual

Outrora de lutas intenso.



É tempo de nova esperança

Com a luta ainda presente

No rosto da boa gente

Deste Alentejo em mudança

Que mostra a cada criança

O caminho para evoluir

E não sabendo ainda sorrir

Com um saber de cuidado

Que aprendeu no passado

Vê hoje a paz a florir.



tavico

 

 

A MUSICA DAS PALAVRAS | tavico.bloguedemusica.com

20
Mai10

Alentejo terra de encanto

silvia

Alentejo terra de encanto
De gente honesta e simples
Povo cansado chorando
...Suas lágrimas se tornam flores

São tantas, de tantas cores
Cobrem este chão sagrado
Primavera dos meus amores
Alentejo, chão encantado

Alentejo amargurado
Terra dos meus encantos
Relembro o pastor cansado
Cantando, esquecendo os prantos

Os prantos de quem não tem pão
Em casa choram com fome
Outras eras, recordação
Minha alma ainda consome

Recordei aquele homem
Costas tortas pela vida
Uns tem tanto, e tudo comem
Outros nada, madrasta vida

Alentejo terra esquecida
Aqui vais ao deus dará
Esperas nesga, uma saída
Para as gentes que ficaram cá.

 

Antonia Ruivo

 

 

19
Mai10

O Alentejo é

silvia

O Alentejo é dos lugares mais puros da Europa, as paisagens são lindas com muita energia e relaxa apenas estar presente...adoro e sinto sempre muitas saudades do meu lindo e querido Alentejo ...as paisagens alemãs são bonitas mas: O ALENTEJO foi criado pelo universo/cosmos e nós agradecemos esta maravilha...bjs a todos os alentejanos desde a Alemanha.

 

 

19
Mai10

Lindos campos verdejantes

silvia

Lindos campos verdejantes
Matizados de papoilas,
Já não são como eram antes
Mondados pelas moçoilas.

...Perfumados de poejo
Os campos de solidão,
É assim o Alentejo
Que trago no coração.

O melro canta no silvado,
O grilo no buraquinho.
E eu por ti apaixonada,
Alentejo, meu cantinho.

Poema de Ema Afonso

Eu sou fã do nosso Alentejo!

 

19
Mai10

PORQUE VOLTO

silvia

PORQUE VOLTO


Volto,
porque há dias antigos
...que ainda nos agarram
com o cheiro da terra lavrada,
onde em cada ano,
enterrávamos os pés e os sonhos.


Volto,
porque os olhos dos pastores,
continuam chorando
estios sem pastagens,
onde na terra gretada
o rosmaninho já secou.


Volto,
porque me doem as recordações
dos lugares perdidos,
onde há nomes de gentes,
que me deixaram marcas,
sulcadas na pele e na alma.


Volto,
porque ainda quero correr,
atrás das cotovias
que cantavam nas eiras,
quando o pão de trigo,
nascia nas mãos dos homens.


Volto,
porque em tardes de sol,
há espaços na planície quente,
onde velas de moinhos decadentes,
ainda gritam o teu nome ao vento,
enquanto moem saudades velhas.


Volto,
porque ouço canções tristes,
que os últimos cantadores,
penduram nas oliveiras abandonadas,
e que se arrastam comigo,
embalando nostalgias
fechadas dentro de mim.


Volto,
porque o verde dos trigais
é da cor da esperança em colheitas,
que possam merecer a pena,
e porque as derradeiras cegonhas,
ainda moram nas torres das igrejas.


Volto,
porque irremediavelmente,
luto por agarrar o tempo,
como outrora tentava
apanhar as rãs assustadas,
que se esgueiravam nos charcos.


Volto,
porque o meu Alentejo,
é o último dos redutos,
onde consigo esconder os sonhos
que ainda trago fechados,
nas minhas mãos desesperadas!



(Orlando Fernandes in Alentejo…e Outros Poemas)

tieren/alijn38.gif

19
Mai10

Igreja Nossa Sra da Cola Ourique

silvia

                                                Foto de Célia Agostinho Martin 

                               

    Igreja Nossa Sra da Cola ,

Em registos históricos é possível comprovar que esta romaria era já, no século XVIII, a mais importante da região, sendo então organizada pelos grandes proprietários. Foi assim, desde muito cedo, um dos lugares de peregrinação mais importantes do Baixo Alentejo. Continua ainda hoje a realizar-se anualmente a 8 de Setembro mas a festa associada tem início na véspera da romaria.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D