Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MEU ALENTEJO

ESTE BLOG E DEDICADO AO ALENTEJO E A MINHA TERRA QUE SE CHAMA "ALMODÔVAR"

ESTE BLOG E DEDICADO AO ALENTEJO E A MINHA TERRA QUE SE CHAMA "ALMODÔVAR"

MEU ALENTEJO

30
Jan11

Alguns provérbios do vinho.

silvia

Alguns provérbios do vinho.

- O bom vinho arruína a bolsa e o mau estômago.
- Conselho de vinho é falso caminho.
- Bebe vinho mas não bebas o siso.
...- Ao menino e ao borracho põe-lhe Deus a mão por baixo.
- Mulher que muito bebe, tarde paga o que deve.
- Ninguém se embebeda com o vinho da sua adega.
- Onde entra o vinho sai a razão.
- Não faças vinho em terra de senhorio.
- Do vinho e da mulher, livre-se o homem se puder.
- Foge do mau vizinho e do excesso de vinho.
- O bom vinho traz consigo a ventura.
- Cada cuba cheira ao vinho que tem.
- O bom vinho faz bom sangue.
- Alegrai-vos tripas que aí vai vinho.
- Quando o vinho desce as palavras sobem.
- Vinagre na charneca é vinho de três anos.

30
Jan11

Vem conhecer o Alentejo

silvia

Vem conhecer o Alentejo


Anda daí vem comigo
...Conhecer o Alentejo
A terra que nos dá o trigo
Que fica além do teu Tejo
Anda ver as mondadeiras
Nas searas trabalhando
E no Verão as ceifeiras
As cantigas entoando
Ao calor do sol ardente
Nesses velhos horizontes
Anda ver a minha gente
À tardinha ir p'rós montes
Homens de rosto tisnado
Passam a vida a trabalhar
Nos campos atrás do gado
E nas terra a cultivar
Azinheiras e sobreiros
Há nos campos meu amigo
Esses velhos companheiros
Anda daí vem comigo!

isaurindo sempao

30
Jan11

Poema da Terra Adubada

silvia

Poema da Terra Adubada

Por detrás das árvores não se escondem faunos, não.
Por detrás das árvores escondem-se os soldados
com granadas de mão.
...
As árvores são belas com os troncos dourados.
São boas e largas para esconder soldados.

Não é o vento que rumoreja nas folhas,
não é o vento, não.
São os corpos dos soldados rastejando no chão.

O brilho súbito não é do limbo das folhas verdes reluzentes.
É das lâminas das facas que os soldados apertam entre os dentes.

As rubras flores vermelhas não são papoilas, não.
É o sangue dos soldados que está vertido no chão.

Não são vespas, nem besoiros, nem pássaros a assobiar.
São os silvos das balas cortando a espessura do ar.

Depois os lavradores
rasgarão a terra com a lâmina aguda dos arados,
e a terra dará vinho e pão e flores
adubada com os corpos dos soldados.

António Gedeão, in 'Linhas de Força'

29
Jan11

O Homem que e extravagante

silvia

O Homem que é extravagante

 nunca usa 5 reis ...

nunca tem roupa bastante ...

porém enfia pelos péis ... 

dias inteiros na venda está ...

vendo o sol por uma luzerna ...

 não deixa  apagar a lanterna

copo vai ,copo vem ...

e gasta tudo quanto tem ...

homem pobre na taberna

pra casa se vai deitar ..

e sem deixar loiça partida

viras a mulher fugida ...

com medo de algum bofetão ...

e quando não pode com o rabo

e que se faz valentão ....

 

de Manuel Rico Correia

 

Alentejano de Pias

vivendo desde 1972 na Alemanha ( Iserlohn )

 

29
Jan11

Alentejo Terra Linda

silvia

Alentejo Terra  Linda

 

Mesmo com calores de verão

á trigo,sol e formigas

e festa com tradição

terra de caça e do pâo

do azeite e do chouriço

do queijo e do carrascão

do peixe e do bom marisco

também tem rochas de xisto

sobreiras e azinheiras

e rios que abraçam o mar

com barragens de primeira

e á sombra de uma azinheira

durmo a sexta descansado

e sentado a soalheira

fico trigueiro e queimado

também é terra de gado

campinos famosos toureiros

e de gente que canta o fado

nesse Alentejo trigueiro ...

 

 

Este Poema é de Manuel Rico Correia

Nascido em Pias

e desde 1972 se encontra na Alemanha ( Iserlohn )

Pág. 1/7

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D