Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MEU ALENTEJO

ESTE BLOG E DEDICADO AO ALENTEJO E A MINHA TERRA QUE SE CHAMA "ALMODÔVAR"

ESTE BLOG E DEDICADO AO ALENTEJO E A MINHA TERRA QUE SE CHAMA "ALMODÔVAR"

MEU ALENTEJO

10
Nov11

Mesas do Castelinho

silvia


 

Estação Arqueológica de Mesas do Castelinho

 

 

A Estação Arqueológica de Mesas do Castelinho situa-se na freguesia de Santa Clara-a-Nova, no lugar de Monte Novo do Castelinho.
Segundo estudos arqueológicos, confirma-se que Monte Novo do Castelinho foi um grande povoado já com características defensivas, com vestígios de povoamento desde a Idade do Ferro, remontando a sua origem ao século IV ou V a.C.
Vestígios de povoamento de vários povos têm sido encontrados nas escavações que continuam a decorrer nesta estação, sendo que os mais abundantes são de origem romana e os mais recentes de origem árabe.
As diversas campanhas arqueológicas realizadas colocaram a descoberto várias fortificações, construídas entre a Idade do Ferro e o período omíada.
O acesso à Estação Arqueológica é feito por estrada de terra batida desde Santa Clara-a-Nova.

 

10
Nov11

A vila de Almodôvar,

silvia


 

Almodôvar

 

A vila de Almodôvar, sede de concelho, situa-se no Baixo Alentejo, entre a Serra do Caldeirão e a dourada planície alentejana, marcando a transição entre o Alentejo e o Algarve.
Com características maioritariamente agrícolas, toda a região do Município de Almodôvar produz principalmente cortiça, mel, queijo de cabra e aguardente de medronho silvestre.
Almodôvar é uma vila caracteristicamente alentejana, pacata, histórica e tradicional, marcada pela típica calmaria desta região.
A Igreja Matriz, do século XVIII, é o mais imponente monumento, na simplicidade das suas colunas toscanas, na riqueza dos altares laterais e na sumptuosidade do altar-mor, mandado construir por D. João V.
Em Almodôvar existiu a primeira espécie de Universidade de Teologia no Sul de Portugal, que funcionou no Convento de S. Francisco, do século XVII.
A cultura e a sua perpetuação são importantes em Almodôvar pelo que foi criado o Museu da Escrita do Sudoeste de Almodôvar, e todos os anos, desde 1996, se realiza a FACAL - Feira de Artes e Cultura de Almodôvar.

06
Nov11

Ceifeira tão bronzeada

silvia

Ceifeira tão bronzeada
Pelo sol do alentejo
O que foi feito de ti
Pelos campos te não veijo

Já se não ouvem cantigas
Entre os braços nos trigais
Ceifeira da minha terra
Onde desgaras teus ais

Saia e lenço já não trajas
Não tens corpo de mulher
O progresso transformou-te
Não voltas a aparecer

Alentejo estás mais triste
Sem o canto da ceifeira
Que cortava com carinho
Tua loura cabeleira

A Autora, infelismente já não está entre nós mas foi a mesma da moda do loendro,cantado pelas Atabuas. Mª Felicidade Manuela Bravo

03
Nov11

ALENTEJO AO LONGE

silvia

ALENTEJO AO LONGE

Saudades esvoaçando
Á procura duma imagem
Olham e ficam procurando
Na realidade é uma miragem

Ouvir risos,vindos de lá
Ver na obscuridade
O sentimento que ainda há
Que dá asas á realidade

Seu perfume se envolve
Nas nuvens transportado
No peito aberto,que comove
Sons vindos do outro lado

As cores ao longe se apagam
Na claridade do fim do dia
Cabelos ao vento que afagam
A inteligençia e sabedoria...

M.Medeiros   02/11/2011

01
Nov11

A lenda do Senhor Jesús do Calvário:

silvia

 

O R I G E M D O N O M E

 

A Vila Negra

A origem do nome "Vila Negra", tem origem numa lenda.
A lenda do Senhor Jesús do Calvário
:
Os milagres do Senhor Jesus do Calvário eram tantos e tão grandes, que depressa se tornaram conhecidos por todo o país.
Este facto, aguçou e despertou a cobiça dos habitantes de outras localidades, no sentido de quererem roubar a referida santa imagem milagreira.
Despertado o interesse, apareceu a cobiça e logo surgiram os planos de execução.
Certo dia de lindo sol, – há muitos, muitos anos – dirigiram-se a Almodôvar muitos cavaleiros armados de lanças e espadas, para levarem de qualquer maneira a imagem do Senhor Jesus do Calvário.
Quando se aproximavam da vila, operou-se um milagre que ficou na história de Almodôvar e viria a dar-1he o nome de Vila Negra.
Fez-se noite, de repente! Um nevoeiro muito cerrado, ocultou por completo a vila, não deixando ver nada, nem mesmo um palmo à frente do nariz, como se costuma dizer.
Os guerreiros, em vão procuraram a vila e perderam o rumo e viram-se obrigados a bater em retirada, sem poder entrar na Vila, e não puderam levar consigo o Senhor Jesus do Calvário.
Os habitantes, ouvindo o barulho do tropel dos cavalos vieram às janelas a ver o que se passava, mas o denso nevoeiro, nada deixou ver.
No dia seguinte, quando souberam o que tinha acontecido, atribuíram o milagre ao Cristo Crucificado da sua devoção e fizeram uma grande procissão com a imagem, pelas ruas da vila, engalanadas e cheias de flores.
Ainda hoje, esta imagem é muito venerada pelo povo encontrando-se no mesmo local, muito bem conservada. Todas as noites se encontram nesta pequena capelinha, muitas velas acesas pelos fiéis devotos, que receberam benefícios espirituais ou materiais, por intermédio do referido Senhor Jesus.
Por esta razão, a do denso nevoeiro, diz a lenda, passou Almodôvar a chamar-se de Vila Negra.
Este acontecimento foi tão importante que a População nunca mais o esqueceu, e ainda hoje, alguns mais idosos, se referem a Almodôvar como a “Vila Negra”...

Nota: Almodôvar (...), aparece pela primeira vez assinalada nos mapas do tempo dos Árabes ou Muçulmanos, com o nome de Al-Mudura. Almodôvar é a modificação da palavra árabe Al-Mudura que significa "a coisa em redondo, ou cercada em redondo.

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D