Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

MEU ALENTEJO

ESTE BLOG E DEDICADO AO ALENTEJO E A MINHA TERRA QUE SE CHAMA "ALMODÔVAR"

ESTE BLOG E DEDICADO AO ALENTEJO E A MINHA TERRA QUE SE CHAMA "ALMODÔVAR"

MEU ALENTEJO

21
Dez09

PAI

silvia

Quero ainda dormir no relento
das eiras da minha infância pobre ,
apanhar gafanhotos no restolho quente
e beber a água da tua infusa molhada .

Quero armar armadilhas espertas
no fofo da terra generosa
revolta pelo teu arado
e caçar cotovias desavisadas .

Quero ver a brancura dos montes
salpicando a paisagem ondulante dos trigais
e escutar a sinfonia sincopada das cigarras .

Quero ver o pôr do sol
rasgado pelo verde escuro das oliveiras
nas tardes mornas e pacatas,
adivinhando estrelas .

Quero ver ainda os rostos trigueiros
das mulheres alentejanas
no luto eterno dos seus lenços pretos
e tristes,
caiando , caiando , caiando , serenas .

Quero ver as raparigas da nossa aldeia
levando à cabeça cântaros e sonhos
e na cara ardente
rosetas de cantares antigos .

Quero olhar a planície,
relembrar tuas belgas e regos
em traçado retilíneo
e sentir agora,
orgulha da tua luta inglória .

Querocantar o canto triste
desse alentejo suado,
empunhando o brado da revolta
dessa nossa gente
deserdada ainda , da história e da terra .

Quero ainda pegar a tua mão já cansada
e nela abraçar fortemente,
os desenraizados que te ombrearam.

Quero enfrentar de vez
os sonhos sem esperança
da pobreza que me gerou
e gritar alto a repulsa
aos ouvidos esquecidos
desse noso pedaço sofrido .

Quero confessar aos ventos do alentejo
minhas saudades e minhas mágoas,
meu sofrer longíquo
e meu regresso pendente.

Quero sentir de novo a criança pobre
com os olhos do adulto,
para um rir chorar do passado presente,
para um chorar rir do passado ausente .

Quero voltar
e chorando calmamente ,
falar ao sol e à lua,
falar ao vento e à chuva,
do meu passado,
do meu presente .
blumen_natur/34.gif

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D